Voltar

Autocarro avariou e o adversário deu boleia

Autocarro avariou e o adversário deu boleia

Transporte que levava a equipa do São Pedro Fins a Paredes teve uma avaria mecânica. Num gesto de fair-play, o adversário solucionou o problema.

O autocarro que transportava a equipa da Associação Desportiva e Recreativa de São Pedro Fins avariou, num gesto de enorme desportivismo, o União Sport Clube Baltar soube da situação e prontamente tratou de transportar a equipa adversária até ao seu próprio campo a tempo do jogo da segunda divisão dos distritais do Porto.

«O autocarro avariou a treze quilómetros do Complexo Municipal de Paredes, na autoestrada. O motor avariou, começou a deitar fumo por todo o lado. Pensámos que ia arder. Faltava cerca de uma hora para o jogo e não iríamos conseguir chegar a tempo», contou o presidente do S. Pedro Fins, Nuno Silva.

O homólogo do Baltar, Isidro Almeida, desvaloriza o gesto de solidariedade e fair-play. «O que mais podíamos fazer? Se fosse ao contrário gostaríamos que fizessem o mesmo.» 

Depois da ajuda recebida, o São Pedro Fins acabou bater Baltar por 3-1. Porém, o mais importante já estava garantido antes do apito do árbitro: a realização do jogo de futebol.

«Mandámos lá o nosso autocarro e resolvemos o problema aos homens. Iam perder o jogo… quer dizer, infelizmente perdemos nós, mas foi em campo. Além de perderem, iriam pagar uma multa por falta de comparência. Desde treinadores e jogadores a diretores, todos concordámos que a ganhar teria de ser em campo», disse o presidente do conjunto de Paredes.

O problema com o autocarro persistiu após o jogo. Embora o São Pedro Fins tenha solucionado parte do contratempo, alguns atletas não tinham transporte para voltar para a Maia.

«Arranjámos boleia para quase toda a gente. Fizemos a contagem e percebemos que não havia transporte para três atletas. O presidente do Baltar trouxe-os a São Pedro Fins no próprio carro e os árbitros deram boleia aos nossos dois diretores. As pessoas do Baltar sabem estar e têm uma educação que não se vê todos os dias», elogiou o Nuno Silva.

 

São gestos como este, que nos levam a ter esperança no desporto e nos seus agentes desportivos.

Fonte: www.maisfutebol.iol.pt